Arquivo da tag: capital humano

Você pratica o Networking?

Screen Shot 2015-02-10 at 11.09.10 AMVocê sabia que uma das melhores forma de conseguir trabalho é através de networking? Em tempos de crise é especialmente importante, mas você nunca deve perder a oportunidade de aumentar sua rede de contatos.

Veja abaixo 7 dicas par ate ajudar no networking:

  1. Crie coragem e aproxime-se das pessoas.

Sim, pode ser um pouco estressante se aproximar de alguém que você não conhece e iniciar uma conversa, mas isso é o que as pessoas fazem em eventos de networking e você pode fazer em qualquer lugar! Além disso, não tenha medo de procurar e se conectar a alguém no LinkedIn. Essa é uma ferramenta de networking profissional, ou seja, ela é feita para isso.

  1. Quando for pedir ajuda, tenha um propósito.

Não basta chegar a alguém sem uma boa razão. Tenha um motivo, saiba o que quer daquela pessoa. Você acha que esta pessoa pode compartilhar algumas informações valiosas sobre sua indústria, sua trajetória? Você quer saber mais sobre a empresa que esta pessoa está trabalhando? Seja qual for seu objetivo, tenha sua lista de perguntas, mostre interesse e sempre agradeça.

  1. Seja sempre entusiasmado e respeitoso.

Quando você está falando com alguém, realmente ouça o que ele ou ela está dizendo. Essa não é hora de atender seu telefone, checar a mensagem no What’sUp, etc. Lembre-se, eles estão dedicando seu tempo para falar com você e o mínimo que você pode fazer é mostrar entusiasmo e respeito.

  1. Seja você mesmo.

Ser profissional não significa que você deve esquecer a sua personalidade. Sua personalidade é o que faz você se destacar. As pessoas se lembram de personalidade – Seja você mesmo!

  1. Pergunte sobre seus objetivos.

O que eles querem realizar? Quais são seus objetivos? Todo mundo adora falar sobre si mesmo – é um tema fácil e você pode aprender bastante com os casos de uma pessoa mais experiente!

  1. Ofereça algo.

Você deve se perguntar: “O que eu posso fazer por essa pessoa?”. Muito provavelmente tem algo que você sabe ou tem acesso que pode interessar à outra pessoa. Compartilhe um artigo relevante, convide-os a aderir a um grupo específico da indústria. Pergunte se você pode ajudá-los em algo específico, e mesmo que não haja nada naquele momento, fique atento a oportunidades de retribuir.

  1. Mantenha contato.

Não basta deixar seus contatos e desaparecer. Faça contato de vez em quando, veja como estão, faça um follow up quando vir que mudaram de empresa, foram promovidos, fizeram aniversário. É importante alimentar sua rede para que aquele contato deixe de ser pontual e seja duradouro.

 

Espero que as dicas ajudem.

Bom trabalho e boa sorte!

Você tem um bom Currículo?

Embora hoje em dia existam várias formas de um profissional conhecer você, o currículo (ou CV) continua tendo uma enorme importância. Muitas pessoas que estão na faculdade têm seu perfil no Facebook, Instagram, Twitter e muitos outros, mas estes são sites de relacionamento pessoal – embora, CUIDADO! – muitas empresas pesquisem sobre você também nestas redes. Nesta fase é muito importante que você comece a olhar para o “Você Profissional”: o que você está estudando, para onde quer ir, quais são seus sonhos profissionais, o que você precisa fazer para chegar lá?!? Estas são perguntas que talvez ainda não tenham respostas, mas você precisa começar a construir este caminho, e junto com ele seu CV.

– Qual a função de um currículo ?

Em geral a função do currículo é despertar a atenção do empregador sobre você. Ou seja, no currículo você apresenta de maneira resumida sua formação, experiências profissionais e habilidades, com o objetivo de criar interesse no entrevistador e que, consequentemente, você seja convidado para uma entrevista.

– Tipos de currículo

Na verdade existe uma infinidade de formatos de currículo, o importante é você moldar o seu de acordo com as oportunidades que você está buscando, dando mais ênfase a informações relevantes naquele momento (ver quais experiências profissionais são mais relevantes para o cargo que você esta concorrendo, que cursos são mais valorizados, etc) ou ainda de acordo com as experiências que você já teve (por exemplo um estudante que nunca trabalhou deve enfatizar os cursos que fez, palestras….). Se você busca uma oportunidade na área financeira, não é necessário contar detalhes dos dois últimos trabalhos que você teve em marketing. Deixe espaço para falar de trabalhos, cursos, palestras, e outras atividades mais relacionadas ao que você está buscando.

Veja exemplo abaixo:

Screen Shot 2014-12-17 at 7.16.04 PM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

– Erros comuns e que devem ser evitados:

  1. Erros de português .

Um currículo com erros de ortografia e concordância é rapidamente descartado. Dominar o idioma é pré-requisito para qualquer vaga. Revise seu CV e peça para que outras pessoas leiam também.

  1. Mentir .

Mentir para deixar o currículo mais completo, além de antiético, pode te trazer desagradáveis surpresas, já que o entrevistador pode querer avaliar se você tem mesmo determinadas experiências e características.

  1. Ser prolixo:

Um currículo longo não significa um bom currículo. Um currículo serve para que você consiga uma entrevista, portanto ele deve apresentar o conteúdo que irá chamar a atenção do entrevistador. Deixe para desenvolver, explorar e contar detalhes durante a entrevista, dando ênfase aos assuntos de maior interesse do entrevistador. Seu currículo deve conter as informações relevantes de forma clara e objetiva.

  1. Ser superficial.

Como dito acima, o currículo não pode ser muito longo, porem também não pode ser superficial. Ele deve conter informações mínimas necessárias para que o recrutador tenha interesse em te chamar para uma entrevista.

Evite colocar foto, não é sua aparência que conta mas sim suas experiências profissionais, habilidades e formação. Se ainda assim optar pela foto, coloque uma foto formal, lembre-se que você esta querendo passar uma imagem de seriedade e credibilidade portanto nada de fotos de camiseta, bermuda, óculos escuros, muita maquiagem.

  1. Anexar documentos de comprovação.

Não há necessidade (ao menos se solicitada) de anexar no currículo documentos e certificados de cursos, etc. O entrevistador parte do pressuposto de que o candidato esteja falando a verdade. Não é necessária também a assinatura nem uma rubrica no currículo.
Mantenha seu currículo atualizado
Faça atualizações permanentes no seu currículo. Apesar de parecer um clichê, as oportunidades aparecem quando você menos espera. Por isso, tenha o seu sempre em mãos e atualizado com os novos cursos, projetos e outras experiências para enviar aos recrutadores assim que solicitado.

Imagem on-line.

Além do CV, muitos recrutadores hoje em dia buscam informações sobre você na internet, por isso, cuidado com sua imagem on-line!

– Sites profissionais: nestes sites, como o LinkedIn (se ainda não se cadastrou, vale a pena!), é imprescindível que você tenha um perfil sério, com sua escolaridade e experiências.

– Sites informais: os sites também de relacionamento, mas informais, como o Facebook, permitem que você seja o que quiser, mas saiba que você poderá ser procurado por empresas lá também. Se está no seu momento de buscar uma posição no mercado, evite que sua foto principal seja você de sunga ou biquíni, ou fazendo careta, etc. Também não convém você fazer parte de uma comunidade tipo “detesto trabalhar” ou outras que possam causar uma má impressão sobre você.

– “They may google you”: algumas pessoas vão colocar seu nome no Google para ver o que aparece. Neste caso podem aparecer muitas coisas, como um blog seu, ou do qual participa; respostas que você deu a perguntas em diferentes sites, de diferentes áreas; artigos que você tenha escrito, ou com os quais tenha contribuído, etc. Procure participar de sites de discussão, principalmente nas áreas de seu maior interesse e, é claro, cuidado ao escrever suas respostas!

– E-mail: se ainda não tem, crie um e-mail profissional (por exemplo, primeironome.sobrenome@yaz.com.br) ou algo parecido. Você pode também criar uma assinatura padrão no fim do seu e-mail, com seu nome completo e telefones para contato. Faça tudo o que puder para facilitar a vida do recrutador e para que ele te ache mais rápido. Isso pode fazer toda a diferença!

 

Prepare seu CV, faça uma boa revisão, peça ajuda a quem tem mais experiência ou a um profissional da área. Uma boa oportunidade por aparecer e é melhor você estar preparado, ou ela vai passar e você pode nem perceber!

 

Aproveito para desejar a todos um Feliz Natal, um 2015 de muita paz, determinação e sucesso.

Bom trabalho!

Fernanda Lopes de Macedo Thees

Consultora de Carreiras

3 razões que não dependem de você e podem te atrapalhar na busca por uma nova oportunidade de trabalho

Há quanto tempo você (ou um ente querido) está a procura de um novo emprego? Você é qualificado e, mesmo assim, às vezes parece que isso não vai acabar nunca!

Veja abaixo 3 razões que acontecem com frequência:

 

1. Concorrendo com candidatos internos

Você pode ser a pessoa perfeita para o trabalho e ter feito uma entrevista fantástica então, de repente, alguém que já trabalha na empresa ABC está interessado e aparentemente qualificado … boom! É o fim.

O que você pode fazer: Meu conselho aqui, por mais clichê que possa ser, é nunca colocar todos os ovos na mesma cesta. Mantenha a rede, continue pesquisando, trabalhando, fazendo suas ligações. Como boa mineira que sou, sugiro que só conte com os ovos quando já estiverem na cesta!

 

2. Turnover provoca tumulto

O recrutador com quem você está conversando deixa a empresa. O gerente de contratação que você conhece é promovido e se muda. Há um novo VP que está reestruturando todo o departamento. A troca da guarda pode causar mudanças não previstas nas suas chances.

O que você pode fazer: Mudanças durante seu processo seletivo podem provocar atraso ou até mesmo acabar com suas chances. Considere o uso do LinkedIn para identificar quem mais você poderia conhecer na empresa,  ou para ver se você conhece alguém que conhece alguém”, e comece o trabalho de networking novamente.

 

3. Você não pode controlar o incontrolável

Fusões, atualizações tecnológicas, congelamento de contratações, documentos perdidos, o mau desempenho financeiro, as pessoas estão fora da cidade, as aposentadorias e os desastres naturais – todas essas são razões que podem te atrapalhar no processo de contratação.

O que você pode fazer: Nós não podemos controlar a natureza ou outras pessoas. Só podemos controlar nossas próprias ações. Por mais difícil que possa ser, às vezes você apenas tem que respirar fundo e seguir em frente.

 

Do início ao fim, há muitas coisas que podem dar terrivelmente errado com a procura de emprego, mas no final esperamos que outras muitas coisas deem certo. O importante é ter a conciência de que  toda entrevista que você faz é uma chance de brilhar, e qualquer oferta é o resultado de muito trabalho duro, paciência e um pouco de sorte.

 

Boa sorte!

 

10 frases de Nelson Mandela para reflexão.

Faleceu ontem, na Africa do Sul, um dos maiores líderes que o mundo já conheceu – Nelson Mandela. Além de ter conseguido mover todo um povo em busca do seu ideal de libertação, conseguiu pacificamente, humildemente, inspirando as pessoas  e ensinando que, mesmo que sofressem injustiça, não deveriam devolver na mesma moeda.

Temos muito o que aprender com Mandela e reuni hoje algumas frases ditas por ele que devem nos inspirar e fazer pensar sempre. São frases provocadoras que podem nos fazer refletir sobre como levamos nossa vida, desenvolvemos nossa carreira, fazemos nossas escolhas, como cuidamos uns dos outros. Que cada um faça sua própria reflexão.

1- “Nascemos para manifestar a glória do Universo que está dentro de nós. Não está apenas em um de nós: está em todos nós. E conforme deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo. E conforme nos libertamos do nosso medo, nossa presença, automaticamente, liberta os outros. ”

2- “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ,ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar. “

3- “O bravo não é quem não sente medo, mas quem vence esse medo.”

4- “Se você falar com um homem numa linguagem que ele compreende, isso entra na cabeça dele. Se você falar com ele em sua própria liguagem, você atinge seu coração.”

5- “Não há nada como regressar a um lugar que está igual para descobrir o quanto a gente mudou.”

6- “Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos.”

7- “Uma boa cabeça e um bom coração formam sempre uma combinação formidável.”

8- “Perdoem. Mas não esqueçam!”

9- “Há vitórias que são importantes apenas para aqueles que as conseguem.”

10- E, como estamos em uma faculdade, “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.”

 

RIP Nelson Mandela.

Por que estamos tão infelizes?

Screen Shot 2013-06-10 at 2.51.51 PM  “Mais da metade dos empregados do mundo reclama de seu trabalho”, diz a Você RH. O que está causando esse fenômeno e até que       ponto a empresa é responsivel?

Vicky Bloch, consultora e coach diz que vivemos uma crise de valores, onde “a vida não vale nada”.  Além disso, estamos aprendendo desde cedo a cobiçar o que não temos. Se não temos ambição, somos marginalizados. Outro dia me assustou muito o comentário de uma amigo, do qual gosto demais e respeito muito tanto pessoalmente quanto profissionalmente (talvez por isso tenha me assustado). Estava falando sobre a importância que vejo em levar minhas filhas para verem projetos sociais pois, apesar de pequenas, acho importante conhecerem diferentes realidades, etc. Esse amigo achou interessante, mas disse que queria saber como ensinar a filha a ter ambição. Confesso que nunca tinha pensado nisso! Fico pensando em como ensinar minhas filhas a serem felizes.

Será que é isso? Somos criados para sermos melhores que os outros e, senão o somos, nós nos cobramos, a sociedade nos cobra? Existe aquela famosa pesquisa (não me lembro mais os valores exatos – os valores eguintes são simbólicos) onde perguntaram às pessoas se elas preferiam ganhar R$ 1.000,00 onde todos ganhavam R$ 500,00, ou ganhar R$ 2.000,00 onde todos ganhavam R$ 5.000,00.

Pode parecer absurdo, mas a grande maioria preferia ganhar menos individualmente, mas ganhar mais do que os outros.

Embora eu acredite que as empresas têm sim sua responsabilidade com os funcionários, acredito mais que cada um é responsável pela própria vida e por sua felicidade. Diz Vichy Bloch novamente que “a felicidade é um estado de espírito, portanto individual. O que gera esse estado é diferente para cada um porque depende do context social, educacional e familiar em que foi criado”.

Cada vez mais será necessário respeitar as vontades, ambição e interesses de cada um. Se uma pessoa quer trabalhar 12h por dia, ter um nível de preocupação gigante, pois quer ganhar mais, tudo bem. Da mesma forma, deveria estar tudo bem se alguém quer trabalhar 8h, sem estresse, e ganhar menos. Só é difícil com o nível de concorrência que temos hoje em dia querer trabalhar as 8h, sem estresse, e ganhar o tal salário alto.  Além disso, todo mundo, inclusive nós mesmos, precisamos saber que há ônus e bônus atrelados a cada decisão.

Só para terminar, diz Mario Sergio Cortella, filosofo e professor da PUC SP que “Felicidade é um estado de vibração intense. Nenhum de nós está feliz o tempo todo, nem poderia. A felicidade está apoiada na ausência: você só é feliz porque não está feliz o tempo todo”.

E você, já descobriu o que te faz feliz? E o mais importante, está disposto a ouvir?

Quer ser contratado?

Geralmente (mas por incrível que pareça, nem sempre!) quem está em busca de novas oportunidades quer ser contratado. Felizmente muitas empresas em nosso país também estão em busca de bons profissionais, e muitas vezes não conseguem preencher suas vagas por falta de qualificação técnica.

Por outro lado, existe também hoje um grupo de qualificações não técnicas muito procuradas e que podem te ajudar bastante na conquista do seu próximo trabalho. São características intangíveis, suas competências.

Veja abaixo 5 exemplos, bastante procurados nos dias de hoje:

  1. Adaptabilidade

Uma das características da época atual é a velocidade com a qual as coisas mudam. Neste mundo, os profissionais precisam ter a habilidade não só de lidar bem com mudanças, mas também de se adaptar a elas. As pessoas que conseguirem se adaptar melhor a novas pessoas, regras, projetos, líderes serão ativos valiosos para sua equipe e sua empresa.

       2. Trabalho em Equipe

Os times de maior sucesso nos esportes costumam ter uma boa mistura entre veteranos e novatos jogando juntos. Trabalhar em conjunto com pessoas de diferentes gerações, culturas e demografia é uma característica intangível que se tornará cada vez mais importante. Pela primeira vez encontramos 4 gerações trabalhando ao mesmo tempo nas empresas, e isso representa um desafio. Para trabalhar melhor em conjunto são necessárias habilidades como desenvolver contato e confiança, ouvir, motivar os outros, delegar com respeito, entre outros, e quem o fizer será uma parte importante de qualquer time.

        3. Comprometimento

Vestir a camisa da empresa e fazer seu trabalho da melhor forma possível e de maneira eficiente, ao invés de simplesmente “ir trabalhar” todos os dias, pode ser uma ótima forma de se destacar. Você não precisa ser o “dono”, o CEO ou o gerente para mostrar  comprometimento e liderança. Muitas vezes observar pequenas coisas que estão no seu ângulo de visão e melhorá-las vai causar um efeito positivo no trabalho de outras pessoas e vai aumentar sua visibilidade.

      4. Multi-Tarefas

Acabou a era dos  “Tempos Modernos” de Charlie Chaplin , onde cada um era responsável por apertar o seu, e apenas o seu parafuso! A pessoa hoje precisa saber bem o seu trabalho, mas também ter conhecimento de outras áreas; na grande onda das start-ups, precisa vender o produto, executar e atender o telefone. O local de trabalho requer pessoas para fazer mais tarefas e assumir mais responsabilidades do que nunca.

    5. Mente aberta

Estar aberto e flexível para aprender novas habilidades, abordagens, interagir com novas pessoas, tentando novas maneiras de fazer as coisas mostram resiliência e perseverança para fazer o que for preciso para realizar o trabalho, e fazê-lo bem.

Você pode falar sobre seus ativos intangíveis por meio de histórias pessoais específicas que demonstrem como você os utiliza. Nada como uma história real, que leva as pessoas a se relacionarem com você. Isso pode ser uma vantagem competitiva enorme, além de documentar suas conquistas e realizações.

Se você precisar de ajuda para descobrir algumas de suas competências, comece pensando em cinco situações que marcaram sua vida pessoal ou profissional, tente se lembrar dos detalhes dela e analise o que precisou fazer naquele contexto: influenciar alguém, liderar uma equipe, melhorar a comunicação entre pessoas, se adaptar a um novo cenário? Você verá que praticou um ou vários de seus ativos intangíveis nestas situações.

Então, quais são as habilidades intangíveis que têm impactado seus trabalhos?

As tais habilidades intangíveis, ou competências, são também aquelas avaliadas nas, cada vez mais comuns, entrevistas por competência.

QUER SE PREPARAR PARA ENTREVISTAS DE COMPETÊNCIA?

Não perca o Simulado de Entrevistas oferecido pela área de carreira da Trevisan – Conexão Mercado – na próxima quinta, 04 de abril. Para se inscrever envie um e-mail para conexaomercado@trevisan.edu.br. Vagas limitadas.

Lições de grandes líderes – CEO Summit 2012.

 Aconteceu em São Paulo esta semana um evento muito interessante, onde um dos organizadores é uma instituição que admiro muito: Endeavor.

Começando pela Endeavor, sugiro que todos  a conheçam melhor (http://www.endeavor.org.br/). O foco deles é em   empreendedores, mas queira você começar seu próprio negócio, conhecer melhores ferramentas para se desenvolver, ou ser um executive de sucesso, essa turma tem muita informação relevante para dividir! Isso foi bem visto durante o evento, onde várias pessoas davam dicas para quem quer ser empreendedor/ criar um negócio, mas quase todas são válidas também para quem busca reconhecimento professional de uma forma ou de outra.

Vamos agora ao evento.

É muito interessante se ver entre executivos gigantes das empresas brasileiras, ou entre algumas pessoas ainda meio desconhecidas, de empresas que serão as próximas gigantes! Eu certamente tinha muito o que aprender, mas fiquei surpresa inicialmente em ver tantas pessoas já de muito sucesso e com tanta experiência reservarem seu dia todo para estarem ali e ouvir as histórias dos colegas. Ao fim do dia, entendi porque estavam todos lá!

Seria difícil dividir tudo com vocês, diferentes personalidades subiram no palco, cada um do seu jeito e todos com muito para contar. Seguem algumas histórias e pessoas que me chamaram atenção:

Raphael Klein, que aos 33 anos, assumiu a presidência da Via Varejo, resultante da fusão das Casas Bahia e Ponto Frio. A mensagem para quem deseja mergulhar no empreendedorismo é focar no que realmente gosta de fazer: “seja o motorista da sua vida e faça o que você realmente acredita”.

Paulo Kakinoff, ex presidente da Audi no Brasil, assume a presidência da Gol em junho 2012. O que mais me impressionou na trajetória dele foi a determinação, desde estagiário. Ele contou que veio de uma família muito simples, do Grande ABC, que cresceu respirando automóveis e era apaixonado por eles. Conseguiu seu primeiro estágio na Volkswagen e dormia na empresa vários dias para conseguir impressionar com seu trabalho e aumentar as chances de ser efetivado. Pergunte o que aconteceu? Frase dele: “Estudar pra caramba, ralar pra caramba, abrir mão de algumas coisas. Não tem fórmula, não tem mágica (para o sucesso)”.

 Rodrigo Teles, director geral da Endeavor Brasil: “Seja sempre você mesmo, mas não seja sempre o mesmo”.

Dra. Janete Vaz, co-fundadora do Laboratório Sabin. Muito sábia, muita experiência, contou que viveu até os 16 anos em fazenda, onde aprendia a negociar vendo o pai e era muito bem educada pela mãe. Rompeu barreiras quando resolveu não ser dona de casa e iniciar um negócio com a irmã. “Lembre-se que sua palavra vale muito mais que sua assinatura” dizia o pai.

Nelson Sirotsky, presidente do conselho de administração do Grupo RBS conta que passou 5 anos trabalhando diretamente com o pai – “era uma sombra dele”. Gostei de ver a postura humilde, ele talvez não tenha pensado que este é o nome, mas o pai estava sendo seu mentor. Em maior ou menor grau, ter um mentor na carreira pode fazer toda a diferença!

Rosângela Lyra, presidente da Dior Brasil, conta sobre os desafios de conciliar o papel de empresária e mãe e acredita ser importante que a mãe se dedique a filhos bem pequenos integralmente (apesar de não ter feito isso). Eu tenho minhas dúvidas… Além disso, será que toda mãe pode se dar a este luxo?

Sergio Habib comanda uma rede de concessionárias de marcas consagradas como Aston Martin, Jaguar, Ford, Volkswagen e a própria Citroën e agora é presidente da JAC Motors Brasil. Conta que sempre foi um apaixonado por carros e revela a dificuldade de vender e ter alta lucratividade em artigos de luxo. Principal mensagem dele: “NÃO TENHA MEDO DE ERRAR”.

Muitas outras grandes pessoas contaram suas histórias, mas quero encerrar com um tema que pareceu ser bem frequente entre eles:

Siga seu sonho, faça o que gosta, seja apaixonado pelo que faz!

Fernanda Thees – Conexão Mercado

Gestão do conhecimento e o valor do capital humano

A gestão do conhecimento, quanto mais forte for a concorrência no mercado e maiores os desafios de crescimento e consolidação das empresas, é essencial para a conquista do sucesso nos seus negócios. Mas, exatamente, o que é a gestão do conhecimento? Academicamente, pode ser definida como o conjunto de atividades voltadas para a promoção dos saberes do quadro de recursos humanos, possibilitando que a organização como um todo e seus colaboradores utilizem as melhores informações disponíveis a fim de maximizar a produtividade a qualidade e, portanto, competitividade.

Pode-se gerenciar o conhecimento acumulado de todos os funcionários, de modo a transformá-lo em um ativo da empresa. Isso é realizado através da reciclagem contínua e de uma utilização criativa do conhecimento e da experiência compartilhados. Através da intranet, por exemplo, é possível reunir informações, experiências e vivências dos funcionários, convertendo-os em conhecimento organizacional, devidamente arquivado e catalogado.

Constitui-se, assim, um banco de dados, que facilita o acesso ao conhecimento de colegas e ajudam as empresas a trabalhar de maneira global. Cada indivíduo que deixa o seu emprego leva consigo conhecimentos que vale a pena reter. E cada novo funcionário contratado trará conhecimentos que merecem ser compartilhados. Por isso por isso é tão importante organizar e reter todas essas informações e experiências.

Pode-se dizer então que as organizações de sucesso são aquelas nas quais a gestão do conhecimento é, dentre outros itens, parte integrante da atividade individual. Todos têm a necessidade de criar, compartilhar, procurar e usar o conhecimento em suas rotinas diárias. Pierre Lévy, diz o seguinte: “Ninguém sabe tudo; todos sabem alguma coisa, todo o saber está na humanidade… A inteligência é distribuída por toda a parte, é um fato. Mas deve-se agora passar desse fato ao projeto.

Ou seja, todo conhecimento somente agrega efetivo valor à empresa se for aplicado de maneira prática e eficaz para a conquista de resultados. É por isso que, cada vez mais, o capital humano precisa ser reconhecido como o mais importante patrimônio e elemento fundamental para o sucesso das empresas. A competência de uma organização é medida exatamente pela soma das capacidades de seus colaboradores.

Faltam profissionais qualificados em vários setores

As perspectivas para a economia brasileira nesta década são extremamente promissoras. Crescimento sustentado, inflação controlada, juros em queda, renda em alta, desemprego em baixa são algumas das condições que nos permitem pensar de fato em alcançarmos um nível interessante de desenvolvimento econômico e social nos próximos anos.

Dois pilares, no entanto, são fundamentais para garantir que essas condições favoráveis tranformem em realidade um Brasil maior e melhor:

  • infra-estrutura adequada
  • mão-de-obra qualificada

Não será possível alcançar um patamar de desenvolvimento sem investimentos em portos, aeroportos, rodovias, ferrovias e mobilidade urbana em geral. O capital físico é sem dúvida um dos principais gargalos do país. Mas há também uma alta defasagem no que diz respeito ao capital humano, ou seja, pessoas preparadas para implementarem os projetos de expansão das empresas e dos entes públicos. E essa dificuldade já está sendo encarada por várias organizações.

Como escrevi recentemente em artigo para a área de Carreiras do portal iG (http://bit.ly/9vbVs1), o Sistema Nacional de Empregos do Ministério do Trabalho e Emprego registrou que 39% das vagas ofertadas pela rede pública de agências, em 2009, não foram preenchidas. Esse foi o índice mais alto dos últimos anos, o que significa que em 1,7 milhão de vagas não foram encontradas pessoas qualificadas para a função. Isso em um País em que, apesar de ter taxa de desemprego em queda, ainda possui cerca de 8 milhões de pessoas sem emprego.

É claro que essa dificuldade de encontrar mão-de-obra qualificada varia entre os setores. Claramente, há alguns setores que, por conta de seu crescimento acelerado, já estão vivenciando um apagão de capital humano:

  • construção civil
  • nutrição
  • farmacêutico
  • indústrias naval
  • petróleo e gás
  • esporte

É evidente, portanto, que profissionais que se especializarem nessas áreas vão ter muitas oportunidades nos próximos anos. Como disse no meu artigo, “a eventual carência de profissionais qualificados é um problema bom e impensável alguns anos atrás, mas, ainda assim, não deixa de ser preocupante. Assim, cabe ao profissional atento transformá-lo em oportunidades de desenvolvimento de carreira.”