Arquivo da tag: faculdade

5 Dicas para escolher sua faculdade

1Você já se perguntou: Qual faculdade deve fazer?

Quem não pensou: como vou saber qual área devo estudar? E, além disso, em qual faculdade?  Já que para saber qual curso seguir, existem testes vocacionais, mas para decidir qual faculdade escolher, qual teste podemos fazer?

O mercado de ensino é bastante competitivo e com o surgimento dos cursos à distância, novas instituições ganharam espaço, por isso, as opções para os jovens que estão concluindo o ensino médio têm crescido assim como a dúvida de qual faculdade escolher.

O jovem tem sido cada vez mais pressionado pela sociedade no dever de possuir um curso superior, além de saber qual curso fazer, ele deve ter em mente a faculdade na qual pretende cursar.  Mas essas escolhas embora sejam cobradas, precisam ser pensadas com muito cuidado, não é raro ver jovens iniciarem um curso e em pouco tempo desistirem por não se identificarem.

Saber qual instituição de ensino escolher é tão importante quanto o curso que vai estudar, pois ela é quem vai agregar valor ao seu currículo. Em uma vaga de emprego, por exemplo, se todos os participantes forem graduados, o diferencial será a instituição de ensino de cada um.

Quem nunca sonhou em estudar numa faculdade Estadual ou Federal? Esse sonho não é motivado apenas por serem instituições gratuitas, mas sim pela referência e pelo reconhecimento que essas universidades possuem nacional e internacionalmente.

A boa notícia é que existem excelentes faculdades particulares que são grandes referências e possuem os mesmos prestígios. E para ajudar você nessa escolha, listamos algumas dicas:

 

  1. Pesquise: 

Pense inicialmente em qual área você possui mais afinidade: humanas, exatas ou biológicas. Depois pesquise quais faculdades são referências nessa área, por exemplo: tenho afinidade com contas, qual faculdade é reconhecida em ciências contábeis?

Para saber os diferenciais de uma ou outra instituição, você pode buscar referências em sites de busca e até mesmo no portal do MEC. Uma boa pesquisa te deixará mais confiante e sem dúvidas ajudará que sua escolha seja mais assertiva.

  1. Compare:

Agora que você já sabe qual área você vai estudar e quais as faculdades se destacam nessa área, faça comparações, busque nas redes sociais, nos sites de reclamações, compare as disciplinas aplicadas, veja se existem depoimentos de alunos e ex-alunos, quais as condições de pagamento, se os valores cabem no seu bolso, se a localização é boa, se são reconhecidas por profissionais de RH (afinal, ninguém quer se formar e ficar desempregado não é?), para saber essas informações, pesquise em portais de recursos humanos ou em fóruns de discussões desses profissionais.

Mas, cuidado! É comum que empresas tenham reclamações em sites de apoio ao consumidor, nesses casos, fique atento ao tempo de resposta da empresa, quais soluções foram tomadas e se essas soluções deixaram o reclamante satisfeito. Afinal, problemas acontecem.

  1. Entre em contato:

Até aqui foi uma grande evolução, certo? Você já descobriu a área de estudos e reduziu em duas ou três opções de IES (Instituição de Ensino Superior).

Então, faça contato por telefone, e-mail ou chat. Faça perguntas sobre o curso, tempo de duração, valores, ou qualquer outra informação que não esteja clara, e então, avalie o atendimento realizado. É claro que esse tipo de avaliação será muito pessoal, mas você terá uma primeira impressão do atendimento que você terá ao ingressar nessa instituição.

  1. Visite:

Você pode programar uma visita para conhecer a estrutura ou até mesmo se inscrever para prova de vestibular. Assim, a aproximação com o ambiente o deixará mais tranquilo e seguro na sua decisão. Além de ser uma ótima oportunidade de conhecer a infraestrutura e o trajeto até a faculdade.

Outra dica: Algumas IES oferecem palestras ou eventos gratuitos, você pode aproveitar de um evento como esse e ir visitar seu campus.

  1. Inscreva-se:

Finalmente, depois de seguir todas essas dicas, você certamente está preparado e decidido em qual instituição irá estudar. Faça sua inscrição e prepare-se para o vestibular, cuide de sua saúde mental, estude dias antes do processo seletivo, durma tempo necessário e se alimente com refeições leves. No dia da prova, leve um doce, como o chocolate, que além de saboroso é excelente fonte de energia.

Esperamos que essas dicas tenham ajudado.

Guia de Carreiras – Administração

adm-1

O curso e a carreira em Administração são um dos mais populares no Brasil, e isso não é mais novidade pra ninguém. No Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o curso se encontra com frequência no topo da lista dos mais concorridos. Existem algumas razões para tal, mas a que mais chama a atenção é, com certeza, a amplitude que o mercado de trabalho oferece aos formados administradores.

Além do enorme leque de opções para quem escolhe seguir a profissão, há também grande possibilidade e capacitação de se tornar um empreendedor e abrir seu próprio negócio, sonho de muita gente.

Mas afinal, o que é a Administração?

Bem, administração é o ramo das ciências sociais que agrupa diversos conhecimentos a respeito das organizações e o processo de administra-las, e o gerenciando dos recursos financeiros e humanos para atingir os objetivos da empresa.

O profissional desta área é responsável pela criação e execução de estratégias para melhorar o desempenho da organização, e se torna indispensável em qualquer setor, pois possui capacidade de gerenciar todos os processos, desde finanças, contabilidade, gestão de produtos e de pessoas. Um bom administrador conhece as relações de planejamento, organização, controle, operação, custos, lucros e resultados da empresa.

Como citado anteriormente, o principal atrativo dessa profissão é a possibilidade de atuação em diversas áreas, seja em empresas privadas, organizações públicas, bancos e instituições financeiras, mercado de capitais, organizações sem fins lucrativos ou autônomo.

O curso de Administração é uma ótima opção para quem possui interesse em conhecer o funcionamento de uma organização como um todo, saber como cada setor funciona e como interfere nos demais. O profissional formado pela Trevisan recebe os conhecimentos da área financeira, Contabilidade, Logística, Marketing, Legislação, Gestão de produtos e pessoas, e muito mais.

No início da carreira a personalidade, como o profissional age, o que já fez (um trabalho voluntário, por exemplo), o rendimento na universidade, ou se participa de algum clube são as principais características da vida pessoal que serão levadas para o mercado de trabalho. As empresas exigem dinâmica, e uma pessoa que se mantém parada não se adequa muito bem, por isso é importante estar sempre atualizado.

Se esses pontos o convenceram a escolher o curso, venha para a Trevisan e garanta seu futuro!

Dicas para ter o melhor aproveitamento acadêmico no mercado de trabalho

aproveitamento_fbO mercado de trabalho está bem complicado no momento atual, não é nenhuma novidade, devido ao cenário econômico e principalmente político. Mas a grande pergunta é: como se destacar nesse momento?

Confira abaixo algumas dicas que vão te ajudar a aproveitar ao máximo sua faculdade, te preparando a enfrentar os desafios contínuos e te destacando no mercado:

Atividades Complementares: Há um bom tempo o jovem que tem bom desempenho acadêmico, ou seja, notas boas, é bem visto ao mercado. E não há muito tempo, as empresas tem se perguntado o que foi feito além das suas atividades acadêmicas do dia a dia. Uma atividade complementar relevante como a participação em uma ONG, que realmente desenvolva o jovem, é considerado um plus pelo mercado.

Idiomas: O conhecimento em inglês “fluente” no fim da faculdade, através de uma participação ativa em curso de idiomas, ou uma experiência internacional como um intercâmbio com a realização de algum projeto, por exemplo, é olhado por lupa pelos entrevistadores.

Habilidades e comportamentos: Fazer exercícios de autoconhecimento é essencial para descobrir o direcionamento e adequação de comportamentos nos ambientes corporativos e, consequentemente, aperfeiçoar suas habilidades.

Network: Criar network também faz toda diferença na caminhada ao sucesso. Alguns empregadores preferem buscar pessoas por indicação, pois confiança é algo que se demora a adquirir e hoje, mais do que nunca, assuntos relacionados a compliance, controles internos, governança corporativa, ética, entre outros, estão chamando a atenção nas companhias sérias. Ou seja, uma contratação confiável é mais rápida e, teoricamente, mais “segura” para o empregador.

Orientação e direcionamento: Além dessas atividades é importante, desde o início da faculdade, buscar orientações de carreira com professores e outros profissionais para ter um direcionamento específico para um estágio, pois a graduação oferece muitos ramos de atividades.

Marcos Robson Vieira é aluno do curso Ciências Contábeis da Trevisan, palestrante e educador financeiro pela DSOP Educação Financeira. Atua como gerente de contas na AIESEC no INSPER e também como líder do programa de Mentoring do IBEF Jovem em SP.

Você tem um bom Currículo?

Embora hoje em dia existam várias formas de um profissional conhecer você, o currículo (ou CV) continua tendo uma enorme importância. Muitas pessoas que estão na faculdade têm seu perfil no Facebook, Instagram, Twitter e muitos outros, mas estes são sites de relacionamento pessoal – embora, CUIDADO! – muitas empresas pesquisem sobre você também nestas redes. Nesta fase é muito importante que você comece a olhar para o “Você Profissional”: o que você está estudando, para onde quer ir, quais são seus sonhos profissionais, o que você precisa fazer para chegar lá?!? Estas são perguntas que talvez ainda não tenham respostas, mas você precisa começar a construir este caminho, e junto com ele seu CV.

– Qual a função de um currículo ?

Em geral a função do currículo é despertar a atenção do empregador sobre você. Ou seja, no currículo você apresenta de maneira resumida sua formação, experiências profissionais e habilidades, com o objetivo de criar interesse no entrevistador e que, consequentemente, você seja convidado para uma entrevista.

– Tipos de currículo

Na verdade existe uma infinidade de formatos de currículo, o importante é você moldar o seu de acordo com as oportunidades que você está buscando, dando mais ênfase a informações relevantes naquele momento (ver quais experiências profissionais são mais relevantes para o cargo que você esta concorrendo, que cursos são mais valorizados, etc) ou ainda de acordo com as experiências que você já teve (por exemplo um estudante que nunca trabalhou deve enfatizar os cursos que fez, palestras….). Se você busca uma oportunidade na área financeira, não é necessário contar detalhes dos dois últimos trabalhos que você teve em marketing. Deixe espaço para falar de trabalhos, cursos, palestras, e outras atividades mais relacionadas ao que você está buscando.

Veja exemplo abaixo:

Screen Shot 2014-12-17 at 7.16.04 PM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

– Erros comuns e que devem ser evitados:

  1. Erros de português .

Um currículo com erros de ortografia e concordância é rapidamente descartado. Dominar o idioma é pré-requisito para qualquer vaga. Revise seu CV e peça para que outras pessoas leiam também.

  1. Mentir .

Mentir para deixar o currículo mais completo, além de antiético, pode te trazer desagradáveis surpresas, já que o entrevistador pode querer avaliar se você tem mesmo determinadas experiências e características.

  1. Ser prolixo:

Um currículo longo não significa um bom currículo. Um currículo serve para que você consiga uma entrevista, portanto ele deve apresentar o conteúdo que irá chamar a atenção do entrevistador. Deixe para desenvolver, explorar e contar detalhes durante a entrevista, dando ênfase aos assuntos de maior interesse do entrevistador. Seu currículo deve conter as informações relevantes de forma clara e objetiva.

  1. Ser superficial.

Como dito acima, o currículo não pode ser muito longo, porem também não pode ser superficial. Ele deve conter informações mínimas necessárias para que o recrutador tenha interesse em te chamar para uma entrevista.

Evite colocar foto, não é sua aparência que conta mas sim suas experiências profissionais, habilidades e formação. Se ainda assim optar pela foto, coloque uma foto formal, lembre-se que você esta querendo passar uma imagem de seriedade e credibilidade portanto nada de fotos de camiseta, bermuda, óculos escuros, muita maquiagem.

  1. Anexar documentos de comprovação.

Não há necessidade (ao menos se solicitada) de anexar no currículo documentos e certificados de cursos, etc. O entrevistador parte do pressuposto de que o candidato esteja falando a verdade. Não é necessária também a assinatura nem uma rubrica no currículo.
Mantenha seu currículo atualizado
Faça atualizações permanentes no seu currículo. Apesar de parecer um clichê, as oportunidades aparecem quando você menos espera. Por isso, tenha o seu sempre em mãos e atualizado com os novos cursos, projetos e outras experiências para enviar aos recrutadores assim que solicitado.

Imagem on-line.

Além do CV, muitos recrutadores hoje em dia buscam informações sobre você na internet, por isso, cuidado com sua imagem on-line!

– Sites profissionais: nestes sites, como o LinkedIn (se ainda não se cadastrou, vale a pena!), é imprescindível que você tenha um perfil sério, com sua escolaridade e experiências.

– Sites informais: os sites também de relacionamento, mas informais, como o Facebook, permitem que você seja o que quiser, mas saiba que você poderá ser procurado por empresas lá também. Se está no seu momento de buscar uma posição no mercado, evite que sua foto principal seja você de sunga ou biquíni, ou fazendo careta, etc. Também não convém você fazer parte de uma comunidade tipo “detesto trabalhar” ou outras que possam causar uma má impressão sobre você.

– “They may google you”: algumas pessoas vão colocar seu nome no Google para ver o que aparece. Neste caso podem aparecer muitas coisas, como um blog seu, ou do qual participa; respostas que você deu a perguntas em diferentes sites, de diferentes áreas; artigos que você tenha escrito, ou com os quais tenha contribuído, etc. Procure participar de sites de discussão, principalmente nas áreas de seu maior interesse e, é claro, cuidado ao escrever suas respostas!

– E-mail: se ainda não tem, crie um e-mail profissional (por exemplo, primeironome.sobrenome@yaz.com.br) ou algo parecido. Você pode também criar uma assinatura padrão no fim do seu e-mail, com seu nome completo e telefones para contato. Faça tudo o que puder para facilitar a vida do recrutador e para que ele te ache mais rápido. Isso pode fazer toda a diferença!

 

Prepare seu CV, faça uma boa revisão, peça ajuda a quem tem mais experiência ou a um profissional da área. Uma boa oportunidade por aparecer e é melhor você estar preparado, ou ela vai passar e você pode nem perceber!

 

Aproveito para desejar a todos um Feliz Natal, um 2015 de muita paz, determinação e sucesso.

Bom trabalho!

Fernanda Lopes de Macedo Thees

Consultora de Carreiras

Vestibular 2014

Vestibular Fuvest 2014. Agora em agosto, no próximo dia 23 e até o dia 9/9, estarão abertas as inscrições para o maior vestibular do Brasil.
Observo que a chegada desse momento para muitos alunos do Ensino Médio, representa o estágio final dessa etapa e a verdadeira aprovação: passar no vestibular.
Para alguns a pressão é imensa, além da família e amigos, muitas escolas investem e incentivam seus alunos a participar dessa prova, porque acabam utilizando esse resultado como “marketing” para o próprio colégio.”Tantos alunos aprovados na USP!” Assim como alguns cursinhos que usam páginas e páginas do jornal para comemorar o sucesso de seus pupilos… pergunto: De quem é o mérito? Da escola ou do aluno? Dos dois? Há garantias?
Todos sabemos que não, aliás, nenhuma garantia que a entrada na universidade seja a chave para resolver todos os problemas de insegurança e incerteza diante da carreira, pelo contrário, quase 30% dos ingressantes da USP não finalizam seus cursos, e por que? Porque a escolha se volta mais para a passagem pelo exame do que pela escolha profissional, e já que muitos nem sabem o que desejam profissionalmente, pelo menos tentam acertar na escolha da universidade.
Vamos pensar juntos: escolher a profissão já é um grande desafio para os adolescentes, ter essa opção mais clara é um processo que irá acontecer ao longo da formação profissional, e essa certeza de que se está no curso certo, na faculdade certa, só vai acontecer no final. Valeu a pena? Pergunte a cada aluno que desiste de sua formação e depois pergunte ao mercado que competências são mais valorizadas: o ingresso ao curso/faculdade ou a resiliência e determinação de concluir o curso?
Candidatos ao vestibular , façam a si mesmos essa pergunta:
• Por que quero estudar nessa universidade?
• Esse é realmente o curso que desejo?
• Quais são minhas opções?
• Em que área profissional desejo desenvolver uma carreira?
Claro, que não são respostas fáceis, mas determinantes para o percurso pessoal a partir dessa nova etapa. Pense nisso.

10 erros comuns e fáceis de evitar em processos seletivos!

Como em quase toda entrevista, li no artigo abaixo uma frase que não foi o que falei, e vou aproveitar para “corrigir” aqui.
De qualquer forma, gostei muito do texto produzido pela equipe do Terra e reproduzo abaixo para vocês.
Espero que curtam!
“Quem nunca teve um comportamento equivocado, uma fala indevida, ou disse mais do que devia em uma entrevista de emprego que atire a primeira pedra. Apesar de comuns, as gafes não são facilmente perdoadas pelos recrutadores. Para evitar problemas na hora da seleção – e impedir que a vaga dos sonhos caia nas mão de outro candidato – a consultora de carreiras Fernanda Thees, sócia da empresa Loite, citou o que não deve ser feito por quem quer a vaga dos sonhos. Confira:
1 – Não deixe de olhar no olho do entrevistador:Além de causar uma impressão ruim por gerar dúvidas sobre a capacidade de interação do candidato, o olhar desviado também pode impedir que o empregador ouça com clareza o que o candidato tem a dizer.
2- Não dê respostas muito breves:
Ser sucinto demais faz com que o recrutador fique com preguiça de pedir maiores explicações de situações vividas em empresas anteriores.*Foi neste ponto dois que fui mal interpretada… Um bom entrevistador não tem preguiça de perguntar, mas pode se cansar  e questionar o bom entendimento do candidato depois de pedir mais de 10 vezes para a pessoa “explicar melhor”, “elaborar um pouco mais” , “dar mais detalhes”. Um candidato que não ouve ou não entende o que é pedido inúmeras vezes está se colocando numa posição ruim.
3- Não fale demais:
Ninguém precisa ser muito breve – mas a hora da entrevista não é ideal para você contar a história da sua vida. Faça uma apresentação completa – com início, meio e fim – mas não exagere na medida. Antes visto como uma característica de liderança, hoje a atitude é considerada uma forma ruim de mostrar dominância.
4- Não chegue atrasado:
Pontualidade britânica é essencial em um processo seletivo. Se for chegar atrasado, avise e tenha um motivo justo. “É interessante chegar antes e observar o ambiente da empresa, analisar e entender um pouco melhor sobre aquele local de trabalho”, diz Fernanda.
5- Controle as manias:
Deixe as manias, tiques e outras características estranhas em casa. Elas só vão fazer com que o recrutador se distraia e não lembre exatamente de tudo o que o candidato falar.
6- Use o português correto, evite gírias e siglas:
Respeito à língua materna é fundamental em uma entrevista de emprego. Por ser um ambiente formal, o uso de gírias também não é bem visto. As siglas, em geral utilizadas por categorias profissionais especificas, também não costumam fazer parte do linguajar dos recrutadores e devem ser evitadas.
7- Não fale mal da antiga empresa:
Não é considerado ético falar mal de um empregador anterior. Ainda que o que você tenha para dizer seja verdadeiro, o momento da entrevista não é o mais apropriado para despejar sua insatisfação com a outra empresa.
8- Fale alguma coisa:
Mesmo quem é tímido deve fazer um esforço para falar e se mostrar durante uma dinâmica de grupo. Pessoas que não conseguem verbalizar a opinião não são bem vistas no ambiente corporativo.
9- Não crie um personagem:
Seja autêntico. Não tente apresentar um personagem – alguém que você não é. “Contar histórias que não são verdadeiras e dificilmente vão se sustentar após uma entrevista vão pesar contra o candidato”, diz Fernanda.
10- Falar de salário na hora errada:
Durante as entrevistas, tente não levantar o assunto “salário” a menos que seja perguntado. Se a empresa fizer uma proposta, o candidato analisa a questão e verifica se vale a pena aceitar.”

Trainee do Futuro 2013

Estive esta semana na apresentação de uma pesquisa muito interessante, realizada pela Seja Trainee, em parceria com a Across.

Trata-se de uma pesquisa realizada com mais de 300 candidatos a processos de trainees, para identificar seu perfil e atitude frente aos programas.

Vejam alguns dados:

 

Perfil demográfico

68% vivem na região Sudeste, dos quais 45% no estado de São Paulo;

23,8 anos é a média de idade (78% entre 22 e 25 anos).

 

Qualificações

95% declaram falar inglês avançado ou fluente;

92% já fizeram algum estágio;

54% já fizeram ou fazem trabalho voluntário.

 

70% estudaram em faculdades públicas e

69% dos candidatos formaram-se em 2012

 

Cursos mais comuns

42% Engenharia;

18% Administração;

11% Economia.

 

Em quantos programas se inscreveram?

25% em 20 ou mais programas;

25% em 6 programas ou menos.

 

Aspectos mais valorizados em um Programa de Trainee

61% Treinamentos;

54% Job rotation;

52% Coaching e Mentoring.

 

Os dois programas eleitos como melhores do Mercado foram

Unilever – 14%

Ambev – 10%

 

Entre esses números, a maioria já era esparada, alguns surpreenderam, e um especificamente me assustou: 25% dos entrevistados se inscreveu em 20 ou mais programas!

Não é à toa que muitas vezes os candidatos dizem que não dá tempo de fazer tudo que as empresas pedem. As empresas pedem bastante sim, mas se você tem que dar conta de 20 isso fica realmente complicado. Por isso a importância de ter foco na escolha da empresa onde quer trabalhar, ver quais mais se adequam a seus valores e interesses, e assim poderá se inscrever em menos programas. Claro que também não é aconselhável se inscrever em um ou dois pois, com o altíssimo nível de concorrência, é melhor ter mais opções. Tente pensar em número que vá conseguir conciliar com a faculdade, o estágio, o TCC, etc. Pouco adianta estar inscrito em muitos e não conseguir fazer nada direito, de uma forma ou de outra você vai se eliminar de vários processos quando não conseguir participar tão ativamente das atividades online, não se preparar bem para entrevistas, e tudo mais.

Pense nisso e, se precisar de ajuda, procure pela área de Carreira da Trevisan, o Conexão Mercado.

Boa sorte!

Resultado e Recomeço

Resultados e recomeço. Todo início de ano é assim. Janeiro é o começo de vários processos seletivos que vão trazendo os primeiros resultados, desde aprovação para a próxima fase, como as aprovações em instituições de ensino. Para os candidatos um momento tenso, e para a família uma grande expectativa também. Apoio nesse momento é a melhor pedida.
O sistema do SISU já está funcionando e aumenta ainda mais essas expectativas já que o processo inclui até 3 etapas.Os resultados finais serão conhecidos apenas no final de fevereiro, com as listas de 2ª, 3ª e últimas chamadas, então manter a esperança e ficar atento as listas é a primeiro ação.
O maior desafio depois do ser aprovado e matriculado no curso é a adaptação ao curso.
Esse primeiro semestre é ponto chave para esse novo universo. Muitas mudanças para quem saiu do Ensino Médio. Autonomia e disciplina são pontos chaves dessa nova etapa.
No primeiro semestre do curso de administração, me lembro do comentário de uma aluna: – “Nossa que maravilha a faculdade! Não precisa pedir permissão para sair da aula e nem para ir ao banheiro!” E é isso mesmo. Muitos alunos com 17 ou 18 anos irão encarar um ambiente em que a autonomia é levada a sério e a disciplina depende de cada aluno.
Pontos positivos dessa nova etapa: no âmbito pessoal serão novas amizades em um novo ambiente. No âmbito educacional: Diferentes professores com diferentes experiências que farão mais cobranças e mais exigirão maior autonomia dos alunos.
Essa primeira experiência na graduação será o início de novas oportunidades inclusive de aprofundar seu conhecimento naquilo que realmente é importante e faz sentido para o aluno. Enfim estudar o que gosta e aprender a gostar de outras coisas também.Essa é a melhor parte da escolha da graduação. Depois virão as experiências profissionais e a prática. Nessa descoberta, os caminhos trarão muitas opções. Fique atento. Gostar no que se faz pode ser um bom exercício, porque nem sempre faremos apenas o que gostamos.
Que 2013 seja o começo de muitas outras escolhas que virão.

Conexão Mercado em busca da Excelência!

Visitei na semana passada a Universidade da Pensilvânia, nos EUA, mais conhecida como UPenn. Fundada por Benjamin Franklin, a Universidade é uma instituição privada, na cidade da Filadélfia, Pensilvânia. Estudantes podem estudar em quatro departamentos acadêmicos: Artes e Ciências, Enfermagem, Engenharia e Ciências Aplicadas, e Wharton (conhecida por seu MBA). A universidade está entre as 10 melhores dos EUA, assim como o MBA.

Tive a oportunidade de conversar com uma Senior Associate Director da área de carreira de Wharton e com a Diretora geral da área de carreira responsável pelos outros 3 departamentos da universidade, que inclui graduação, mestrado, doutorado, etc.

Um dos temas que a Diretora comentou ser recorrente nas orientações, e que também acontece com bastante frequência na Trevisan, é o aluno achar que o curso que está fazendo definirá sua carreira pelo resto da vida, o que definitivamente está errado! A própria UPenn escreveu um artigo sobre isso, que achei interessante e vou traduzir abaixo uma parte para vocês:

“Quando você tiver explorando carreiras potenciais, evite tomar decisões com base em alguns MITOS comuns:

1- Devo ir na mesma direção que meus colegas de classe vão.

Há muitas outras carreiras gratificantes e satisfatórias além de direito, medicina, investimento e consultoria. Avaliando carreiras potenciais pode ser um processo excitante se você explorar plenamente todas as possibilidades e tomar uma decisão com base no que iria oferecer-lhe a maior satisfação. Embora seja um desafio para não sucumbir à pressão dos colegas, lembre-se que é o seu futuro.

2- Meu curso determina as minhas escolhas de carreira.

Muitos empregadores estão à procura de qualidades e habilidades que não estão diretamente relacionados com a sua grade curricular. Motivação, fortes habilidades em organização, escrita, e a habilidade de resolver problemas são apenas alguns exemplos do que os empregadores valorizam. Mesmo nas áreas mais específicas como Engenharia e Negócios, os alunos escolhem carreiras que não necessariamente se relacionam com a sua grade.

3- Há apenas uma carreira certa para mim.

A maioria das pessoas são capazes de trabalhar bem em pelo menos duas a três diferentes áreas profissionais. O truque consiste em desenvolver uma boa compreensão de seus valores, habilidades, interesses e personalidade e, então, explorar as carreiras que melhor se encaixam no seu perfil neste momento de sua vida. Ao adquirir mais experiência, seus valores, interesses e idéias sobre uma carreira podem mudar. Uma carreira nem sempre segue uma progressão lógica.

4 – As escolhas de carreira são irreversíveis.

Muitas pessoas mudam carreiras ou postos de trabalho pelo menos três vezes em suas vidas e é provável que no futuro isto aconteça ainda mais. Se você descobrir que não gosta do seu trabalho ou do campo profissional que escolheu, é possível mudar de direção. Às vezes, habilidades específicas desenvolvidas em um trabalho são muito valorizadas em outros. Muitos formandos da UPenn tendem a trabalhar cerca de três a cinco anos e, em seguida, buscam uma pós-graduação como forma de melhorar as suas competências e habilidades, ou mudar de carreira.

5 – Sucesso está diretamente relacionado a dinheiro e status.

Dinheiro e status são muito atraentes e não há nada errado em querer alcançar essas metas. No entanto, tome cuidado para não comprometer seus valores quando você considerar carreiras potenciais. Tente equilibrar o lado financeiro com uma carreira que você se sinta confiante e onde irá utilizar suas habilidades e capacidades. Para algumas pessoas, contribuir para a sociedade é mais atraente do que ganhar muito dinheiro. Quando avaliar suas escolhas da carreira, pense com cuidado sobre o que significa sucesso para você.”  

É normal ficar ansioso ao tomar decisões sobre carreira, por isso, aproveite que sua faculdade oferece o Conexão Mercado e utilize estes serviços.

Do nosso lado, estamos trabalhando para oferecer a você o que há de melhor!

Fernanda Lopes de Macedo Thees

 

Como escolher uma faculdade?

Escolher uma faculdade não é uma tarefa fácil. Sempre surge a dúvida sobre qual curso fazer, qual faculdade oferece uma boa formação e tem reconhecimento no mercado. Nesse momento é preciso um esforço extra do candidato, afinal ele vai passar os próximos anos nesse ambiente e precisa ser criterioso nessa escolha.
O primeiro passo é listar o que você considera mais importante em uma faculdade: reputação, localização, programa acadêmico, intercâmbio, laboratórios ou ainda estrutura. Após listar por ordem de importância esses critérios siga essas sugestões:
1.Procure saber em que tipo de ambiente você se sente mais confortável: em um lugar menor, como seu colégio, ou em ambientes maiores. Em seguida, liste as faculdades que lhe proporcionam este tipo de ambiente.

2.Procure saber a classificação da instituição nos principais rankings, como o Enade (Exame Nacional de Desempenhos dos Estudantes) ou guias especializados em classificações de cursos e instituições.

3.Visite a faculdade e converse com professores e alunos; se possível, assista a uma aula.

4.Conheça o plano de aula do seu curso e procure comparar os currículos das faculdades.

5.Veja localização da faculdade e trace um roteiro entre a instituição, sua residência e o seu trabalho.

6.Veja também a metodologia das avaliações e os critérios de nota de para aprovação do aluno.

Após selecionar as faculdades e cursos que interessam, anote o período de inscrições para o vestibular, valor da inscrição e período de matrículas.
Ao ser aprovado em mais de um processo seletivo, use como critério de desempate a lista por ordem de importância que você fez antes de selecionar as instituições.
O valor da mensalidade não deve ter um peso substancial no momento da escolha, porque atualmente existem diferentes possibilidades de se conseguir financiamento ou bolsa de estudos.
O importante é que se você tenha várias opções de cursos e faculdades e que faça a escolha da forma a conciliar a melhor relação custo/benefício.
Boas escolhas.