Pacaembu é a solução para São Paulo

Foi anunciado hoje pela Prefeitura de São Paulo o projeto de renovação do estádio do Pacaembu, que possibilitaria o seu uso para a Copa de 2014, inclusive para a abertura do evento. O projeto prevê rebaixar o gramado, construir mais um anel de arquibancada e com isso aumentar a capacidade de 40 mil para 65 mil pessoas. A fachada, que é tombada pelo patrimônio histórico, seria obviamente preservada, assim como o Museu do Futebol.

Essa me parece ser a melhor solução para São Paulo. Estamos falando de um estádio construído na década de 40 e que claramente não atende mais às necessidades atuais de conforto e visibilidade, além de ser um estorvo financeiro para seu proprietário, no caso nós os cidadãos paulistanos. E o mais interessante do projeto, avaliado em R$ 500 milhões, é a possibilidade de readequá-lo para condições mais realistas após a Copa: a capacidade poderia ser reduzida para algo em torno de 45 mil pessoas e as estruturas exigidas pela Fifa para hospitalidade seriam montadas na própria Praça Charles Miller e desmontadas em seguida.

O projeto do Novo Pacaembu pode servir para resolver dois problemas:

  1. Ser o estádio adequado para receber jogos da Copa de 2014 em São Paulo;
  2. Modernizar o principal estádio da cidade e adequá-lo aos novos tempos.

O estádio do Pacaembu possui localização privilegiada, é um patrimônio histórico da cidade e está no coração dos paulistanos. Essa é uma possibilidade concreta de solucionar a questão da cidade-sede São Paulo e ao mesmo tempo dar vida nova ao Pacaembu, evitando que ele se torne em breve um “coliseu paulistano“, como diz um amigo meu.

2 comentários sobre “Pacaembu é a solução para São Paulo

  1. Caro Fernando,

    Sobre o seu amigo considerar o Pacaembu um “coliseu paulistano”, caso isso se transfome de fato, creio que será muito bom. Até porque o “Coliseu de Roma” é um dos pontos turísticos mais visitados do mundo. E não só propicia ganhos econômicos para a Itália, como sua projeção no mundo. E é um grande monumento do Império Romano. E uma marca signicativa do apogeu da “civilização romana” e da “cultura italiana”. Cria um sentimento de identidade entre os italianos e preservação de sua ancestralidade.

    O Brasil, ainda está muito atrasado em certos conceitos. Por aqui, muitos, ainda compreendem ‘museu’, ‘passado’, ‘História’, como algo obsoleto, ultrapassado, que não serve pra nada. Isto demonstra ainda, um certo atraso cultural em relação aos países mais prósperos, econômica e culturalmente. Cultura associada ao esporte, desde que seja bem trabalhada, pode ser uma grande fonte de receita.

    Precisamos avançar nestes aspectos, se quisermos nos transformar num grande país. E o futebol pode nos dar enormes contribuições neste caso.

    Sou carioca, mas tenho enorme carinho pelo Estádio do Pacaembu. O Estádio do Pacaembu não está só no coração dos paulistanos, mas está no coração dos brasileiros. E fiquei muito feliz com a instalação do Museu do Futebol no estádio. Museu é vida! Passado é presente! E História é futuro! Espero que o seu amigo esteja certo e que o Pacaembu se transfome logo num “Coliseu Paulistano”.

    Um abraço fraterno e…

    Saudações Tricolores,

    EDUARDO COELHO
    ALUNO TREVISAN-RIO

    1. Caro Eduardo, não se trata aqui de desmerecimento da importância dos museus e de monumentos históricos. Mas é exatamente porque gosto do Estádio do Pacaembu que entendo que ele ainda pode continuar sendo referência como arena cultural, histórica, mas também esportiva. Uma coisa não precisa excluir a outra. E deixa para ele se tornar um coliseu só daqui a 2.000 anos!
      Abraço.
      Fernando

Deixe uma resposta