Por que protestar?

Por que protestar? Será preciso uma razão para isso?
Estamos observando essa onda de protestos que começou com o movimento Passe Livre sobre o aumento de 20 centavos na tarifa do transporte público de São Paulo. O que a princípio foi considerado apenas uma “intenção” sobre o movimento, hoje já ganhou força e atraiu pessoas para que expressem sua indignação sobre tudo.
Confira algumas frases que estão sendo utilizadas pelos manifestantes:
“Brasil, vamos acordar, o professor vale mais que o Neymar”
“Pega esses 20 centavos e enfia no SUS.”
“Ou para a roubalheira ou paramos o Brasil.”
“Desculpe o transtorno mas estamos mudando o Brasil.”
“Jogaram mentos na geração coca-cola.”
Pergunto: O que leva as pessoas a saírem de suas casas para as ruas?
No início, parecia coisa de uma geração “burguesinha” em busca de emoções… junto deles, uma turma de vândalos, depredando e destruindo. Misturado e tudo junto, entre eles mesmos percebemos os heróis e vilões, como quando assistimos as imagens do movimento no Rio de Janeiro, a intimidação feita à Polícia, que foi acuada dentro de um banco e resgatada pelos próprios manifestantes. É uma corporação a serviço da ordem e da segurança que se viu diante de pessoas totalmente descontroladas.

Ok, acredito que vale o protesto, vale a manifestação. Não vale o medo nem a intimidação.

Queremos um Brasil melhor sim, muito melhor, e as pessoas querem dizer isso, querem expressar sua opinião, mas veja bem, ao solicitar a redução de 20 centavos, essa é uma medida palpável e passível de mudança, mediante um decreto da prefeitura. Agora, pedir melhorias na educação, saúde, e outras coisas, requerem mudanças e investimentos de longo prazo.

Como medir as ações e intenções dos dirigentes? Vamos precisar melhorar os protestos então, as manifestações, as exigências e o compromisso do governo.

Vamos aprender a cobrar mais, colocar os condenados nas cadeias, lutar pelos salários mais justos, por melhores serviços, por respeito e dignidade.
Enquanto isso, escute, perceba e mantenha-se antenado nas ações e reações tanto do público como do governo. Para os jovens, experiência que irão levar por toda a vida. Um momento único e é bom guardar na memória para termos o que contar e cobrar depois.

Deixe uma resposta