Arquivo da tag: network

Conexão Mercado – 10 dicas para o seu Planejamento de Carreira

O fim do ano se aproxima e, para aqueles que não fizeram o exercício de pensar e planejar os próximos passos de sua carreira durante o ano, seguem agora algumas dicas para você começar o ano comprometido com seu presente e futuro profissional.

 

Plano de carreira em 10 lições

1. Faça duas perguntas essenciais

Quais os meus talentos? O que me dá prazer?

Quanto mais você aproximar uma coisa da outra, maiores as chances de realização.

 

2. Siga a sua vontade e não a dos outros

Pense no que você gostaria realmente de ser, e não no que os outros gostariam que você fosse. Planeje um futuro que combine com as suas aspirações e talentos.

 

3. Seja realista

Não liste um número exagerado de objetivos, impossíveis de serem realizados no tempo estipulado.

 

4. Estabeleça prioridades

Em vez de planejar o aprendizado de dois idiomas nos próximos cinco anos e fracassar em ambos (afinal, a sua vida não se limitará a estudar línguas!), concentre-se naquele que é mais importante para os seus objetivos.

 

5. Orientação, Coaching e Mentoring – Desenvolvimento e autocrítica

Só quem conhece bem as próprias necessidades de aprendizado e desenvolvimento consegue ir direto ao ponto para se aprimorar. Se ainda não pensou nisso e em outras questões de sua carreira, procure uma orientação, um mentor, ou faça um programa de coaching!


6. Lembre-se que o futuro começa agora

O planejamento não pode ser dissociado de sua situação atual. Informe-se sobre os planos da empresa em que você trabalha e analise os rumos da sua área de atuação.

 

7. Seja flexível

Esteja sempre pronto para reavaliar seus planos a partir de um acontecimento significativo que não estava no script.

 

8. Amplie suas perspectivas

Já que estamos falando do futuro, não esqueça que há muitas formas de trabalho além da vida corporativa. Você pode ser consultor, professor, empreendedor, e por aí vai.

 

9. Jogue conversa fora

Compartilhe seus planos pessoais com o marido ou a esposa, um parente ou um amigo. Troque idéias sobre o futuro da carreira com pessoas que conheçam a sua área de atuação e tenham mais experiência. Cultive e amplie sua rede de relacionamentos.

 

10. Revisite seus planos anualmente

Faça uma revisão anual e transfira o que for preciso para a sua agenda. Um exemplo: se uma das decisões é ter uma vida mais saudável, anote em todas as segundas-feiras o lembrete ‘fazer exercícios três vezes nesta semana’.

 

Para mais dicas e orientações, agende um horário  no Conexão Mercado, área de Carreiras da Trevisan Escola de Negócios.

Redes Sociais e Gerenciamento de Carreira

Com a criação das redes sociais eletrônicas, gerenciar os relacionamentos de forma virtual se tornou um hábito para a maioria das pessoas, no entanto, é preciso tomar alguns cuidados para que isso não se torne um problema.

O foco deste artigo é a forma como sua imagem será vista e como ela poderá refletir em sua carreira, porém ainda é válido lembrar que nada substitui a relevância de manter os relacionamentos ativos presencialmente – pois isso também pode fazer a diferença para sua carreira.

Ao se pensar em fazer parte de uma Rede Social é fundamental estar ciente que você estará de certa forma exposto. Por isso, cabe a você refletir sobre o que você está buscando em uma rede social; se estará disposto a compartilhar suas informações, e se você quer/precisa separar sua vida pessoal da sua profissional.  De acordo com o que você decidir, identifique uma rede social que faça sentido para você.

De forma simples, podemos agrupar as redes sociais em dois tipos objetivos:

– Relacionamentos Profissionais, como o Linkedin, onde é permitido inserir dados profissionais e alguns dados pessoais de contato, sem espaço para entretimento e com enfoque corporativo. A Trevisan tem três grupos no LinkedIn: Trevisan Escola de Negócios, Trevisan Conexão Mercado e Trevisan Corpo Docente. Verifique se você pode fazer parte de um deles, ou de todos eles.

– Relacionamentos Pessoais/Profissionais, como Facebook, Orkut e etc. Isto porque é permitida a inclusão de dados pessoais, mas também de dados profissionais. Existe espaço para entretenimento como os jogos online, criação de álbuns de fotos e etc; como também existe espaço para relacionamento com empresas e grupos.

Por exemplo, se você refletiu que faz sentido para você apenas manter os contatos profissionais, o Linkedin seria a rede mais indicada.
Atualmente muitas empresas e consultorias utilizam o Linkedin para buscar profissionais ou até suas referências. É comum ouvir falar de profissionais que conseguiram uma oportunidade profissional com a ferramenta. Outra atividade importante no LinkedIn é o gerenciamento dos contatos, ou seja, seu networking!
É interessante que conecte-se com profissionais da sua área ou que possam agregar algo para sua carreira, assim como trocar informações e experiências e futuramente até gerar negócios e oportunidades. O Linkedin também permite que você participe de grupos de discussões ou fontes de informações. Esses grupos são uma boa forma de fazer networking, pois você tem a chance de conversar de verdade com outros profissionais.

Algumas dicas para o uso desta ferramenta:
– Deixe seu perfil o mais completo possível . É importante atualizar o perfil com frequência, ainda que a pessoa não esteja procurando oportunidades ou não tenha mudado de cargo. Você pode incluir atividades recentes ou artigos interessantes.

– Não minta, uma hora vão descobrir.

– Construa uma imagem de experiência, em suas atividades não deixe de falar sobre projetos realizados e resultados alcançados.

Também há momentos que a vida pessoal e a vida profissional poderão se cruzar e você precisa estar preparado para isso. No Facebook como no Orkut, por exemplo, você poderá incluir seus dados profissionais e assim estará automaticamente atrelando sua vida pessoal e profissional. Mas, mesmo que você não coloque o nome de sua empresa, alguém poderá lhe achar e ver como você se mostra na rede.

Algumas redes sociais, como o Facebook, permitem que você compartilhe diferentes tipos de informações com diferentes grupos, conseguindo fazer um recorte de o que você quer mostrar e para quem quer mostrar – isso se chama “Configurações de Privacidade”. Esta é uma “facilidade” um pouco complexa que permite que você disfrute mais tranquilamente. Se você quiser ficar brincando de jogos eletrônicos e não quiser expor isso aos seus contatos profissionais, mas quiser anunciar um torneio entre os amigos, isso é possível – basta dedicar um tempinho lendo o manual de ajuda da rede.

Em linhas gerais, o melhor conselho é bom senso – como você se comporta geralmente em sua rede social presencial é como você precisa se comportar na rede social eletrônica. Os vexames podem ser os mesmos ou mais graves, pois como tudo fica registrado seja como foto ou como comentários postados, como diria o pessoal de Direito: “contra provas não há argumentos”…

Também podemos pensar da ótica do Marketing, com os conceitos de Marketing Pessoal e fazer uma analogia com Marca. Você leva anos para construir uma boa imagem, que em minutos pode vir abaixo por conta de um escândalo e recuperá-la pode ser muito difícil.

Resumidamente:

1- Pense bem antes de entrar em uma rede social, reflita sobre seus objetivos, analise os prós e contras de cada rede de acordo com o que você procura.

2- Tente selecionar o que faz sentido expor e para quem expor aproveitando as facilidades das configurações de privacidade das redes.

3- Também reflita sobre o seu comportamento social no dia-a-dia, se ele estiver alinhado aos bons hábitos e costumes, não há o que temer!

Por Debora Miceli e Pâmela Campos, consultoras da Loite

Você já entrevistou alguém? Pois deveria. Você também pode!

Você já entrevistou alguém? Pois deveria. Você pode estar pensando: mas como? Não sou de RH, nem sou entrevistador!

Mas entrevista não é apenas a situação onde você é o candidato a uma vaga e está sendo avaliado pelo entrevistador. Você também pode realizar uma entrevista com um profissional mais sênior para buscar informações a respeito de um mercado, uma vaga, uma carreira ou mesmo um aconselhamento mais abrangente. Neste caso, a entrevista é considerada uma Entrevista de Pesquisa.

Na Entrevista de Pesquisa você é o entrevistador, embora seja verdade que esta pessoa também estará lhe avaliando de alguma forma. Quando você está na dúvida sobre qual passo dar, para qual empresa ir, ou qual será o novo caminho a seguir em sua carreira profissional, é muito importante conhecer os aspectos mais relevantes para ser bem-sucedido nesta escolha. A melhor forma de conhecer sobre uma determinada empresa, área ou mercado é conversar com alguém que trabalha nele. E, se possível, conversar com mais de uma pessoa.

Nesses encontros você terá a oportunidade de reunir informações detalhadas sobre os pontos de seu interesse, por exemplo, características essenciais para o ingresso nessa área, conhecimentos técnicos necessários, perspectivas de carreira, como é o dia-a-dia desse trabalho, entre outras inúmeras informações. Você também pode propor essas entrevistas para fazer perguntas diretamente relacionadas às suas preferências e preocupações. Por exemplo, pode pedir feedback sobre seu currículo, perguntar se sua experiência está alinhada com a experiência mínima necessária para certa posição ou perguntar como deveria se preparar para uma carreira na área X.

Veja alguns pontos:

1) Prepare-se: Para que essa entrevista seja proveitosa é fundamental que você se planeje, organizando temas e perguntas relevantes. Separar perguntas entre mais prioritárias e menos prioritárias é uma maneira de você se preparar para o andamento do encontro que pode ser mais ou menos aberto, ou ainda, alguma de suas perguntas pode receber uma larga explicação e tomar mais tempo do que o esperado, por isso, tenha em mãos suas prioridades. Caso prefira, o que também é mais recomendável, leve impressas as perguntas. Assim poderá verificar se tudo está saindo conforme o planejado, se suas principais dúvidas estão sendo esclarecidas e se, eventualmente, você não está se esquecendo de nada.

2) Como se vestir?: Como em uma entrevista a uma posição de emprego, a questão da roupa que vestir, chegar adiantadamente e ser simpático, tudo isto deve ser feito igual. A diferença é que você é quem conduzirá a conversa.

3) Saiba conduzir: Permita que o seu entrevistado também faça colocações sobre pontos que ele acredita ser relevantes, mas caso você perceba que está desfocando o assunto, poderá como delicadeza retomá-lo. Diga gentilmente, por exemplo: “Isto é muito útil, muito obrigado. Você se incomodaria de me responder outra pergunta?”

4) Faça anotações: Deixe registradas as principais ideias, os conselhos mais importantes e os detalhes mais relevantes. Porém, dê atenção ao profissional na hora que ele estiver contanto seus pontos de vistas. É importante manter o contato visual na conversação.

5) Avaliando e sendo avaliado: Não se esqueça de que é natural que as pessoas lhe avaliem. De repente, essa entrevista acaba sendo a sua chave para aquela posição que você tanto quer. Ou, no caso de ainda estar entendendo para onde quer ir, pode aparecer uma oferta interessante que lhe mostra o caminho.

6) Fazendo desse contato uma relação de longo-prazo: Seja com quem for, sempre agradeça a oportunidade de ter tido esta conversa. Caso no futuro essa oportunidade tenha lhe trazido ainda mais resultados, lembre-se de quem lhe ajudou. Diga o quanto as orientações recebidas foram importantes e que você está colhendo frutos. Esse simples contato reforça o agradecimento e fortalece o vínculo que foi criado. Pense sempre a longo prazo.

Além de enriquecer seus conhecimentos sobre várias áreas e carreiras, as entrevistas de pesquisa também vão aumentar sua network. Comece agora!

Nunca é cedo ou tarde demais para planejar sua carreira!

Antes de mais nada,  Feliz 2010 a todos!

Tive a grande honra de ser convidada a fazer parte do Blog da Trevisan e espero contribuir bastante com textos, indicações de artigos, livros e respostas às perguntas de vocês.

Como estamos no início do ano, esta é uma ótima hora para começar a planejar sua carreira. Para que você consiga um bom emprego ao terminar os estudos todos os livros que já li trazem a mesma recomendação: comece cedo! O fato é que muitas pessoas sabem disso e estão se preparando desde o início, mas outras não. O que fazer neste caso? COMECE ONDE ESTIVER. Nunca é cedo ou tarde demais para começar.

Seguem abaixo alguns pontos importantes para o início e desenvolvimento de sua carreira:

–       Desenvolva seu network (ou rede de relacionamentos).

A Trevisan iniciou oficialmente em 2009 o Alumni, grupo de alunos que já passaram pela faculdade mas que têm interesse em continuar em contato com a escola, professores e novos alunos. Esta é uma excelente oportunidade para todos, mas principalmente para aqueles que estão se formando este ano. Não deixe de se cadastrar no grupo Alumni Trevisan no Linked In.

–       Refaça (ou faça já!) seu CV. Se ainda não aconteceu, em breve você estará conversando com alguém sobre seus planos de trabalhar ou mudar de emprego e a pessoa dirá: “Que ótimo! Me mande seu CV e encaminharei para um amigo e para o RH da minha empresa.” Excelente oportunidade! Não garante nada, mas já é um bom começo. Mande seu CV imediatamente, não deixe passar o tempo pois pode parecer falta de interesse.

Como??? Você não tem um CV bem feito, ou ele não está atualizado? Não deixe isso acontecer. Mantenha seu CV sempre atualizado e se precisar peça ajuda a um profissional para orientá-lo ou fazer uma revisão com você.

–       Yes, you can. Sí, se puede. Caso ainda não saiba um segundo idioma, é hora de aprender. Você pode e deve dar grande importância a isso pois, hoje em dia, com a globalização e competição no mercado de trabalho, falar mais que um idioma já é pré-requisito em várias empresas multinacionais – e nacionais também! O idioma mais pedido é o ingles, mas vários outros também são importantes. Se você já sabe espanhol, alemão, mandarim, francês ou outros está de parabéns. Quanto mais, melhor. Sorte dos suíços, que crescem falando alemão, francês e italiano, e ainda aprendem logo o inglês como lingua estrangeira!

Fernanda Lopes de Macedo Thees