Arquivo da tag: redes sociais

A tecnologia e o ensino de negócios

Matéria de hoje do Valor Econômico (“Ensino Executivo: Novas ferramentas estão mudando a forma de ensinar e aprender sobre o mundos dos negócios”), republicada do jornal inglês Financial Times, trata sobre a utilização das novas ferramentas de tecnologia nas escolas de negócios do mundo. Kindle, facebook, podcast, livros customizados, vídeos, ensino online são alguns dos itens que têm sido incorporados por algumas faculdades do exterior nas suas aulas e no relacionamento extra-classe com alunos e ex-alunos. 

Aqui na Trevisan Escola de Negócios a tecnologia da informação é parte inerente da estratégia de ensino, de comunicação interna e de posicionamento de marca desde a sua fundação. As salas de aula são equipadas com lousa digital, que permite salvar o conteúdo desenvolvido pelo professor durante a aula e trazer muito mais eficiência ao tempo da aula. Faz parte também da nossa metodologia de ensino dos cursos de graduação o uso do notebook por parte do aluno, possibilitando o acessso à internet e a realização de exercícios de forma rápida e dinâmica.

Fora da sala de aula, o aluno pode acessar o conteúdo pelo sistema web e acompanhar as notícias sobre a faculdade pelas redes sociais: twitter, facebook e orkut. Consideramos que essas ferramentas são muito eficientes também para desenvolver o relacionamento com alunos que já se formaram. Para isso, temos utilizado o Linked In, uma rede social que tem um cunho mais profissional.

Como disse o reitor da Open University Business School na matéria, “a tecnologia é simplesmente um meio para se atingir um fim”. As escolas de negócios, assim como todas as instituições de ensino, têm o dever de acompanhar o desenvolvimento da tecnologia da infomação e incorporar tudo aquilo que traga mais eficiência no processo de ensino-aprendizagem e mais agilidade na comunicação com seus públicos.

Fernando Trevisan

“Enrolado na Web”

Li esta matéria na revista “Melhor Gestão de Pessoas” e, seguindo o post abaixo, do Fernando, acho que vale a pena aprender e entender a atual proporção que as redes de relacionamento têm tomado, já que o e-mail está sim ficando antigo.

Eu, que nasci um pouco antes do início da Gen Y, aprendi a usar e-mail logo que ele surgiu, e mesmo assim já tinha uns 18 anos! Ainda é minha ferramenta preferida, e até pouco tempo conseguia receber tudo que me era enviado via web neste único local. Hoje com Twitter, Orkut, LinkedIn, Flickr, Facebook, etc, você recebe contatos o tempo todo, de todos os lugares. Felizes os Gen Y, que já transitam entre todas estas ferramentas sem nenhuma dificuldade!

O importante então é saber utilizá-las bem. Do lado pessoal, é ótimo reencontrar amigos, saber onde estão, poder dividir as novidades mais rapidamente e tantas outras coisas, e isso tudo é simples e natural. Por outro lado, estas ferramentas têm sido cada vez mais utilizadas por empresas e profissionais de RH, por isso, principalmente para aqueles que estão buscando uma posição no mercado, é bom ser mais cauteloso ao fazer comentários, ao escolher a foto do perfil. Alem disso não vá citar um filme pornô como seu favorito, ou dizer que seu maior hobby é beber. Uma pesquisa recente da Viadeo, realizada com mais de 600 empregadores, revela que 20% deles faz busca sobre seus candidatos na internet e sites de relacionamento, e destes, 59% são altamente influenciados pelas informações que encontram na hora de decidir o candidato escolhido.

“They may Google you”. Eles podem te procurar no Google, então faça você mesmo o teste e verifique o que aparece a seu respeito. Coloque seu nome completo, ou o nome que você mais utiliza no Google e veja os resultados. Você se contrataria se visse isso?

É importante também ser seletivo em sua rede de contatos. Sua rede deve ser constituída de pessoas que você realmente conhece. Na minha opinião, mais vale qualidade do que quantidade. Como disse um colega, Romero Rodrigues, CEO do Buscapé, na época dele a mãe dizia “cuidado, não fale com desconhecidos na rua”. Hoje teremos que criar nossos filhos dizendo “cuidado, não fale com desconhecidos na rua nem na internet!”.

Fernanda Lopes de Macedo Thees