Trabalhe nos seus PONTOS FORTES

A revista Exame da semana passada traz a lista dos 10 gurus mais influentes do mundo dos negócios. Eles fora os eleitos pelo Thinkers 50, ranking publicado a cada dois anos.  O número 1 da vez é  Clayton M. Christensen, professor de Negócios da Harvard Business School, considerado um dos maiores especialistas em inovação e crescimento das empresas, mas me chamou atençao estar nesta lista o nome do jovem Marcus Buckingham (apesar de ter se tornado uma tarefa quase impossível saber sua idade, dá para perceber que ele é bem mais jovem que os outros 9 eleitos da lista), que construiu sua carreira desenvolvendo a ideia de que conseguimos extrair o melhor de cada pessoa ao enfatizar seus pontos fortes, e não suas deficiências.

Seu primeiro trabalho nessa área foi publicado em 2001: Now, discover your strenghts (Descubra seus pontos fortes). Entre suas ideias, está a de que o sucesso só acontece quando abraçamos aquilo que há de único em nós, e o colocamos a serviço de nossos projetos.

No livro “Go put your strengths to work”, de 2007, Marcus cita seis passos para fazer com que seus pontos fortes trabalhem a seu favor.

Veja quais são:

1 – Acabe com os mitos – Durante muito tempo acreditamos que era preciso concentrar e gastar energia para desenvolver nossos pontos fracos, 87% das pessoas ainda acreditam nisso. A principal teoria de Marcus é que, precisamos saber driblar e conviver com os pontos fracos, mas são os fortes que nos trazem sucesso, e realização, por isso, é neles que devemos nos concentrar.  Você consegue aceitar esta nova visão?

2- Conheça seus pontos fortes – Como descrito no livro,  “pontos fortes são aquelas atividades específicas que eu faço bem constantemente e pelas quais eu sempre tenho interesse”.  Quais são os seus?

3- Liberte seus pontos fortes – Uma pesquisa feita entre funcionários Americanos fez a seguinte pergunta: “Quando você discute sua performance com seu gestor, com o que vocês gastam mais tempo, pontos fortes ou deficiências?” 35% responderam que gastam mais tempo com as deficiências; 40% disseram que não têm este tipo de discussão com os gestores; e somente 20% disseram utilizer mais tempo falando dos pontos fortes. Isso comprova que, de fato, a maioria das pessoas não tem seus pontos fortes valorizados no trabalho, mas e daí? Você tem duas opções: deixar para lá seus pontos fortes, ou encontrar maneiras de incorporá-los no seu dia-a-dia.

4 –  Dê menos ênfase a suas deficiências – Nós tendemos a valorizar pessoas que conseguem as coisas com mais sacrifício, por isso traz uma certa recompensa lutar contra os pontos fracos. Além do mais, parar de lutar contra eles pode parecer um sinal de fraqueza, desistência. Mas tem mesmo que ser assim?

5- Comunique-se – Que tal se, na próxima vez que tiver que dividir o trabalho de um projeto com seus colegas, vocês começarem por identificar o que cada um faz melhor e que gostaria de continuar fazendo?

6 – Crie hábitos fortes – Você pode gostar desta teoria de valorizar os pontos fortes ao ler o que ela pode fazer por você mas, na correria do dia-a-dia, você pode acabar se esquecendo e voltando aos antigos hábitos de fazer por fazer. Para que isso não aconteça, será preciso identificar e criar novos hábitos, que te farão pensar sempre nos seus pontos fortes e em como utilizá-los com mais frequência.

Se quiser saber mais, o livro “Go put your strengths to work” já tem a versão em português “Empenhe-se.  Ponha seus pontos fortes para trabalhar”.

Boa leitura!

 

Deixe uma resposta